Educação Especial: conceito, público-alvo

A educação especial é uma modalidade educativa muito importante para promover o atendimento dos alunos portadores de necessidades especiais.

By on 30 de novembro de 2018


A educação especial é aquela cuja principal intenção é garantir que as pessoas portadoras de necessidades especiais recebam um tratamento diferenciado e capaz de ajudar a desenvolver seus conhecimentos, levando em consideração suas limitações físicas, mentais, etc.



Como o conceito de educação especial é bastante abrangente e geralmente entra em conflito com os conceitos da educação inclusiva, resolvemos incluir aqui algumas explicações e detalhamentos. Desse modo, os interessados poderão entender perfeitamente como funciona a educação especial no Brasil.

Conceito de educação especial

De acordo com a lei, a Educação Especial é uma modalidade de educação escolar, oferecida preferencialmente na rede regular de ensino, para educandos portadores de necessidades especiais. Embora esse seja um resumo muito objetivo e claro dos conceitos, existem algumas informações importantes a serem adicionadas.

educação especial

Nesse caso, podemos dizer que essa modalidade de educação escolar costuma lidar com os fenômenos de ensino e aprendizagem que não têm sido ocupação do sistema de ensino regular, ou seja, ela trabalha na educação e no aperfeiçoamento dos alunos que não puderam ser beneficiadas pela educação regular por algum motivo, como a falta de estrutura, de profissionais qualificados, etc.

Diferença entre educação especial e inclusiva

Nos dias de hoje, a educação inclusiva vem sendo um assunto extremamente debatido entre os educadores. Afinal, o conceito de educação inclusiva surge para suprir uma das principais críticas à educação especial. Isto é, o fato de a educação especial não promover o convívio entre as crianças portadoras de necessidades especiais e as demais.

Aliás, é exatamente nesse ponto que a uma modalidade educativa difere da outra, já que a educação inclusiva faz de tudo para inserir a criança portadora de necessidades especiais no ambiente da educação regular e demais atividades.

Assim, embora o Brasil esteja se desenvolvendo para alcançar a eficiência máxima dos conceitos de inclusão, ainda há um longo caminho a ser seguido. Enquanto isso, as escolas especiais possuem melhores infraestruturas e profissionais capacitados para atender à mais diversas necessidades especiais.

Público alvo da educação especial

Conforme já ressaltamos, a educação especial é aquela que se ocupa dos alunos portadores de necessidades especiais. No entanto, dentro desse grupo, e de acordo com as políticas nacionais, seu público-alvo inclui as pessoas com deficiência, transtornos globais de desenvolvimento e com altas habilidades/superdotação.

o que é educação especial

(Foto: ASID Brasil)

Além do mais, dentro dos planos pedagógicos, considera-se que a educação especial pode ser dividida em três categorias. Acompanhe:

  • Dependentes: inclui aqueles que só podem ser atendidos em clínicas, pois dependem de um apoio constante para sua sobrevivência;
  • Treináveis: inclui aqueles que frequentam escolas especiais e que necessitam apenas de uma ajuda diferenciada;
  • Educáveis: inclui aqueles que frequentam classes especiais, mas possuem condições para o convívio com as demais pessoas.

Educação especial no Brasil

No Brasil, por conta da Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva, essa modalidade educativa acabou sendo colocada no mesmo grupo da educação inclusiva e, por esse motivo, as escolas passaram a ser preparadas para receber os alunos portadores de necessidades especiais e atendê-los juntamente com os demais alunos.

Obviamente, os alunos especiais ainda demandam cuidados diferenciados, mas a ideia é promover o convívio e a interação social. Nesse sentido, existem muitas ações em andamento, voltadas a garantir que todos os processos aconteçam de forma eficiente.

Entretanto, há que ressaltar que ainda há muito a ser feito, já que as escolas precisam ser mais bem estruturadas, o profissionais precisam de treinamentos especiais e as escolas precisam começar a contar com redes de apoio, fazendo com que os alunos especiais recebam um atendimento diferenciado por uma equipe treinada e não apenas pelo professor.

No Brasil, a educação especial vem sofrendo mudanças para ficar cada vez mais inclusiva. O processo de desenvolvimento é lento, mas, com a ajuda de todos, a evolução será constante.

Educação Especial: conceito, público-alvo
Avalie esta matéria!



Deixe seu Comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

!-- Taboola Lateral-->